Organize suas contas – Para isso, faça uma planilha de orçamento e liste nela todos os seus gastos mensais, listando desde as contas essenciais aquelas supérfluas. Inclua inclusive as contas semanais, como saídas com amigos ou filhos, refeições fora. Isso ajudará você a visualizar onde aplica seu dinheiro e a administrar melhor sua renda.

Corte o desnecessário – Muitas vezes “gastamos sem ver”, ou seja, vamos usando nosso cartão na função débito ou crédito indiscriminadamente e, em coisas supérfluas, que podem na maioria dos casos, podem esperar ou nem precisam ser adquiridas. Por isso, antes de comprar qualquer coisa, avalie se realmente este é o momento certo e se precisa daquilo.

Poupe parte de sua renda – Esta é uma excelente dica, pois para organizar nossas finanças pessoais, é fundamental gastarmos menos do que ganhamos e sempre, eu disse sempre, buscar poupar de 20 a 30% de nossa renda mensal. Como estamos vivendo momentos mais difíceis, você pode começar com uma porcentagem menor, porém o mais importante é que comece agora a poupar e guardar seu dinheiro para o futuro.

Identifique as motivações de compras – O que faz você comprar? Status, poder, reconhecimento social, admiração dos amigos, vaidade, compulsão? Se você gasta além da conta é essencial identificar as razões que levam aos exageros, buscar ajuda e tratá-las corretamente.

Tenha objetivos claros e foco – Defina metas e objetivos para sua vida e foque em alcançá-los. Se você deseja fazer uma viagem de férias, comprar um carro, fazer uma especialização ou qualquer outra coisa; saiba que deve criar um plano de ações econômico, identificar o valor do investimento e trabalhar para conquistá-lo.

Esse empenho é um motivador a mais, pois quando realizamos nossos desejos, vemos o quanto é importante cuidar de nossas finanças pessoais.

Fonte:

Conteúdo reproduzido do site do Programa de Educação Financeira e Previdenciária A Escolha Certa: www.aescolhacerta.com.br

JRM Coaching