A segunda-feira (26) foi um dia inteiro de discussões e deliberações para o Conselho Deliberativo. Pela manhã, aconteceu o 3º encontro que definiu o 4o. ciclo de planejamento estratégico,  horizonte 2019-2022, momento em que foram consolidadas todas as contribuições e ajustes relacionados às diretrizes estratégicas e definição de metas e indicadores, levando em consideração as contribuições dos participantes. Para a conclusão desse processo de revisão, será elaborado o Plano de Gestão Estratégica (PGE) com respectivas orientações quanto à sua implementação.

Pela tarde, aconteceu a 1ª Reunião Ordinária do CD, aberta pelo presidente Evandro Nascimento. O primeiro assunto para deliberação foi a prestação de contas do exercício anterior. Após a análise de toda a documentação e respaldados pelos pareceres auditoria independente (KPMG), auditoria atuarial (MERCER) e do parecer do Conselho Fiscal, o Conselho Deliberativo aprovou as contas do SEBRAE PREVIDÊNCIA, referentes ao ano de 2017.

Segundo estudo comparativo do SEBRAE PREVIDÊNCIA e do Plano SEBRAEPREV em relação ao mercado de previdência fechada e aberta, realizado pela  MERCER,  a estrutura de investimentos do Instituto   e os seus indicadores de eficiência estão em linha com o mercado.

A Comissão Especial Temporária, instituída para avaliar a implementação do plano familiar  destinado aos familiares dos participantes do Plano SEBRAEPREV, após analisar o parecer da consultoria Jurídica, apresentou parecer favorável à implementação do plano. Os próximos passos serão divulgados nos canais de comunicação da Entidade.

Em relação à política de investimentos do SEBRAE PREVIDÊNCIA, o diretor Victor Hohl apresentou as ações táticas para 2018, dentre elas:  maior diligência junto à gestão terceirizada, com permanente acompanhamento do cenário econômico, dos resultados passados e das estratégias futuras; e permissão para que os gestores de investimentos façam alocação em fundos com melhor desempenho (fundos tanto do próprio gestor, como de outros gestores do mercado).