A 3ª reunião extraordinária do Conselho Deliberativo do SEBRAE PREVIDÊNCIA foi realizada na tarde desta quinta-feira (7). A pauta do dia tratou sobre o orçamento e projetos da Entidade para o ano de 2017, a revisão da política de investimentos e a respeito do estudo de aderência das hipóteses atuarias.

O Conselho aprovou a redução da Taxa de Carregamento de 1,8% para 1,5%. A taxa incide mensalmente sobre as contribuições Básicas para cobrir as despesas administrativas. A nova taxa entrará em vigor em 2017. A atual taxa é 54% inferior à média da Previdência Fechada. Em relação às Entidades de Previdência Aberta, 28% inferior. Esta medida foi possível graças à redução das despesas administrativas que contou, também, com a renegociação de contratos junto a todos os fornecedores.

O orçamento aprovado para o próximo ano levou em consideração ampla avaliação sobre as despesas administrativas, a busca pela melhor rentabilidade dos investimentos e a segurança que possibilita maior tranquilidade aos Participantes. Além disso, o Conselho Deliberativo aprovou a continuidade das ações do Planejar, o programa de educação financeira e previdenciária do SEBRAE PREVIDÊNCIA, de Congressos e Eventos.

De acordo com o presidente Evandro Nascimento, o atual momento econômico requer um esforço redobrado no aprofundamento das questões relacionadas à Política de Investimentos. Nesse sentido, o CD aprovou a redução do objetivo de alocação do Segmento Investimentos no Exterior para 3%, mantendo os atuais limites.

O Conselho aprovou, também, o conjunto de hipóteses a ser utilizado na Avaliação Atuarial de 2016 e definição de Plano de Custeio de 2017. A avaliação atuarial é o estudo para mensuração das obrigações atuariais de longo prazo de uma entidade de previdência, seguradora ou operadora de plano de saúde.