Em uma sociedade na qual o estímulo ao consumo é muito alto e o crédito mais disponível, cuidar das finanças, do patrimônio e ainda pensar no futuro não é uma tarefa fácil. Essas foram questões abordadas durante o III Fórum Sebraeprev de Economia, nesta quarta (4), onde foram debatidas questões sobre educação financeira, previdenciária e o cenário econômico no Brasil.

“Por meio do conhecimento qualificado dos palestrantes, o evento busca socializar o conhecimento e informações financeiras sobre previdência privada para que ajudar na hora da tomada de decisão”, disse José Claudio dos Santos, presidente do Conselho Deliberativo do Sebraprev, durante a abertura do Fórum.

No painel do Fórum “Educação Financeira: um estilo de vida”, Conrado Navarro, sócio-diretor da empresa Dinheirama, ressaltou a importância de se valorizar a prática da educação financeira no dia a dia das pessoas.  “A maioria não sabe, por exemplo, quanto paga de juros em suas compras. Sem contar que 80% dos brasileiros não controlam suas finanças. Daí, a importância se fazer um planejamento financeiro”, destaca. Para Navarro, o perfil de cada um influencia na tomada de decisão, mas de uma forma genérica, ele indica no cenário atual investimentos no Tesouro Direto, na Previdência Complementar e em ações com retorno em longo prazo.

Já no painel “Melhoras dos mercados e ajustes em 2015”, Joaquim Levy, diretor superintendente da BRAM-Bradesco Asset Management, destacou a necessidade de se analisar a macroeconomia quando o assunto é administrar as finanças e pensar no futuro. “Às vezes, você tem uma excelente ideia ou produto, mas não tem capacitação financeira e não sabe analisar quais serão os impactos que o cenário econômico na tomada de decisão”, diz Joaquim Levy. Segundo o especialista, a maioria das pessoas aposta nos investimentos de renda fixa. “É preciso ficar de olho, pois o Brasil está diversificando e ampliando as opções de investimentos, inclusive, aqueles voltados para o mercado exterior”, aponta.

Confira a galeria de fotos do evento:

 

Na ponta do lápis

Para não focar apenas das despesas gerais e sociais, negligenciando investimentos futuros, confira algumas dicas para controlar as finanças:

1) Anote tudo que você ganha e gasta mantendo seu orçamento doméstico.
2) Procure se esforçar em boas negociações antes de comprar algo.
3) Tenha no máximo dois cartões de crédito com vencimentos diferentes, respeitando sempre o seu orçamento.
4) Pare de usar crédito como adicional de renda.
5) Evite o endividamento e compre à vista.
6) Pense e planeje em longo prazo, separe recursos, invista e avalie os resultados.
7) Defina metas e objetivos no curto e em longo prazo.
8) Crie sempre um plano B pensando em emergências que podem ocorrer.
9) Envolva a família no planejamento financeiro.

Fonte: Conrado Navarro, sócio-diretor da empresa Dinheirama